Análise WordPress Gutenberg

O Gutenberg é o novo editor visual do WordPress que vem substituir o antigo (e excelente) TinyMCE. Um editor nada mais é que o coração de qualquer CMS: através dele produzimos e gerenciamos conteúdo, principalmente textos.

Substituir o TinyMCE é uma missão desafiadora, mas parece que a equipe de desenvolvedores por trás do Gutenberg não se intimidou e segue firme no processo de criar um inovador plugin.

O Projeto Gutenberg

Falando de forma simplória, o Gutenberg chega para complicar o que era simples. Mas essa complicação tem uma boa razão. Explico.

Há muitos anos atrás (décadas!? rs), o WordPress surgiu como um CMS para blogueiros. Seu conteúdo era principalmente textos e seu foco, blogs. Depois de muitos anos de evolução, eis que hoje temos um CMS muito mais avançado, capaz de criar desde um EAD (como este site que você lê) até um avançado portal de diretórios, lojas virtuais … o céu é o limite.

Essa evolução toda se deu em grande parte a complexos temas e plugins que fornecem para nós desenvolvedores uma vasta gama de opções para criarmos sites cada vez mais completos (e complexos) com WordPress.

Porém essa evolução toda transformou o WordPress em um pequeno monstrinho ao meu ver: de um núcleo simples, prático bonito e funcional para um site carregado de opções complicadas, desconexas e até ineficientes em alguns casos. É comum ver sites com 2 ou 3 plugins (tentando) fazer a mesma coisa em um site, por exemplo.

Enfim, acredito que o projeto tem boas razões para existir e é muito bem vindo. A única grande incógnita fica por conta da seguinte questão:

“Por que cargas d’água ele fará parte do núcleo e virá instalado de fábrica?”

O Plugin Gutenberg

O Gutenberg antes de mais nada é um plugin para WordPress. Já possui similares no mercado, como o Elementor e o Page Builder, ambos pagos e que tem, inicialmente, a mesma função, mas definitivamente não a mesma missão.

O Gutenberg, além de ser um plugin gratuito e que fará parte do núcleo, tem a missão de trazer mais uniformidade ao processo de produção de conteúdo no WordPress, utilizando principalmente o conceito de blocos.

A ideia de transformar tudo em blocos não é nova e é explorada ha muitos anos pelos dois plugins citados acima. Porém transformar isso em uma norma, no modus operandi, sem dúvida é uma iniciativa ousada e que não vi ainda em nenhum outro CMS.

Instalando e Habilitando

A previsão de lançamento do Gutenberg é para o final de 2018 ou início de 2019. Até lá, para instalar o plugin, siga para este link: wordpress.org/plugins/gutenberg/

Por dentro da interface de instalação de plugins do WordPress também não é difícil encontrá-lo, geralmente está entre os plugins de destaque.

Depois de instalar, basta seguir para seus Posts e Páginas normalmente que ele irá substituir o editor antigo, TinyMCE.

Utilizando Gutenberg

Assim como qualquer outro plugin, você terá que perder alguns bons minutos testando e mexendo para aprender a usá-lo. Nada muito complicado, a interface está bem traduzida para o português e sua compreensão é simples. No vídeo deste post ou no nosso canal do Youtube você pode ver na prática como construí um post para meu blog com ele.

O Conceito de Blocos

A ideia é transformar cada pedaço de conteúdo em um bloco:

  • O título é um bloco;
  • Cada parágrafo é um bloco;
  • O elemento Leia Mais, bloco também;
  • Aquela lista de itens, outro bloco;
  • Blocos e mais blocos;

Esse conceito de design, como já disse antes, funciona bem e é a razão de existir de outros plugins de grande sucesso, porém no Gutenberg a integração com o WordPress é muito superior, o que promete muito.

Personalizando Layout no Editor

Devido aos blocos, fica bem mais fácil criar layouts (linhas e colunas) para suas páginas e posts. Os blocos podem ser posicionados lado a lado, ou acima e embaixo, dando uma organização mais prática para seu conteúdo.

Outro conceito matador para mim é a possibilidade de reaproveitar blocos, dando um título para eles e salvando-os como se fossem templates.

Minha Opinião Sobre o Gutenberg

Genial. Sério, gostei muito do plugin, já estou utilizando e recomendo muito. Utilizei em 2017 ou começo de 2018 se não me engano. Dei duas estrelas e critiquei bastante os bugs encontrados. Alguns meses depois, hoje, daria facilmente cinco estrelas. Logo ao meu ver, a equipe de desenvolvimento tem feito um trabalho brilhante (e rápido).

Como usuário de longa data do WordPress, fico feliz de ver esta incrível evolução. Não sei como plugins renomados como Elementor e Page Builder sobreviverão ao Gutenberg (ou se o Gutenberg sobreviverá a eles), mas é certo que para nós usuários será um grande ganho.

Como desenvolvedor wordpress vejo que teremos que apanhar um pouco para fazer ele funcionar bem em sites já estabelecidos, devido aos diversos plugins instalados que provavelmente vão levar um bom tempo para serem integrados ao Gutenberg. Isso poderá causar bugs e instabilidades. Por isso não sou a favor da obrigatoriedade. Poderíamos ter uma fase transitória mais suave.

 

Marco Floriano
administrator
Cientista da Computação, é desenvolvedor na Setor9 e fundador da Cursos7, escola de cursos online para quem deseja aprender a criar sites.
Sem comentários ainda. Seja o primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *