Fim do Suporte ao PHP 5 – Como Atualizar Seu WordPress

Todo site WordPress utiliza extensivamente a linguagem PHP para gerar suas páginas no servidor. É através dos scripts PHP que todas as funções de um site WordPress são programadas.

No WordPress, além dos templates que formam as páginas, o PHP é responsável por gerar o dashboard (painel de controle), os temas e os plugins que formam todo site WordPress.

Por essas e outras razões, é fundamental que sua hospedagem não seja apenas compatível com o PHP, mas também ofereça suporte às últimas versões do mesmo.

Manter o PHP atualizado sempre foi um requisito básico de segurança. Porém agora, mais do que nunca, com o abandono do suporte à versão 5, que é a mais popular, temos que estar prontos para atualizar todos os sites.

Importante lembrar ainda que a partir do WordPress 5, apenas versões 7 ou superiores do PHP são suportadas.

A seguir darei uma série de dicas que lhe ajudarão neste processo. Confira.

Dica 1 – Checando a versão do PHP de seu WordPress

Deveria ser óbvio mas nem sempre é fácil checar a versão do PHP que roda em seu site WordPress. As principais técnicas que utilizo para tanto são:

  • cPanel: no painel de controle da hospedagem, procure por PHP e você deverá encontrar o gerenciador de versões do PHP ou algo parecido. Algumas hospedagens permitem que você selecione a versão do PHP desejada para cada pasta de seu servidor, dando ainda mais controle. Outras irão te limitar bastante e oferecer uma única versão do PHP para todas as pastas.
  • Plugin Display PHP Version: após instalar o plugin basta verificar no dashboard (painel) do seu WordPress na seção “Agora” a versão do PHP.

Dica 2 – Atualizando PHP com segurança

Atualizar o PHP na hospedagem pode ser uma forma muito rápida de quebrar todo seu site. Isto acontece pois quando atualizamos a linguagem de programação de qualquer software, atualizações de código são inseridas, tornando algum do código antigo obsoleto.

Assim, funções que antes eram aceitas agora não são mais. E coisas novas são inseridas. Damos a isso o nome de incompatibilidade.

Opção 1 – Criar um site staging

O site staging nada mais é que um espelho de seu site em outro local. A forma mais barata de criar uma cópia fiel de seu site para testes é efetuando um backup dele e carregando em seu computador local.

No caso de sites muito grandes (com mais de 5gb) essa tarefa pode ser bem demorada e delicada, mas vale a pena. Ao criar uma cópia fiel do site em localhost, você poderá testar todas as atualizações que quiser sem causar danos em seu site original.

Outra forma é copiar seu site atual para um subdomínio e ali efetuar as atualizações. Tudo isso mostro nos cursos disponíveis aqui no site.

Opção 2 – Checar a compatibilidade de temas e plugins com um plugin

Uma forma bacana de ver se seu site é compatível com as últimas versões do PHP é através do plugin PHP Compatibility Checker.

Este plugin, criado pela Wp Engine, procura mostrar um relatório com os erros que cada um dos seus temas e plugins enfrentariam caso fossem atualizados para a versão em questão do PHP.

Os relatórios podem ser um pouco complicados de entender para não programadores, mas a vantagem para todos é que você fica sabendo de qual plugin ou tema o erro de incompatibilidade virá.

Dica 3 – Atualizando PHP

A única forma possível para atualizar o PHP de sua hospedagem é através do painel de controle da mesma. Por dentro do WordPress não será possível fazer isso.

Em alguns casos, caso o painel de controle (cPanel ou similar) não ofereça esta opção, você terá que pedir no suporte de sua hospedagem para que a atualização seja feita.

Porém não é dever de sua hospedagem reparar os erros que a atualização poderá causar. Portanto cabe a você prever o que poderá dar errado e estar preparado para isso.

Conclusão

Após a atualização do PHP em sua hospedagem, não esqueça de efetuar a atualização do WordPress.

Atualizar o WordPress também poderá causar problemas de incompatibilidade de temas e plugins, especialmente se forem muito desatualizados ou pouco populares.

Após a atualização, faça uma checagem visual completa no site, comparando antes e depois. Busque também por erros ou alertas do servidor.

Manter ambos PHP e WordPress atualizados é um dever de todo webmaster WordPress e um trabalho que, mesmo custoso no presente, trará ganhos incalculáveis de segurança, estabilidade e performance para seus sites.

Marco Floriano
administrator
Cientista da Computação, é desenvolvedor na Setor9 e fundador da Cursos7, escola de cursos online para quem deseja aprender a criar sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *